quinta-feira, 26 de maio de 2005

Foram necessários 3 anos postando sob a mesma alcunha para que eu sentisse a necessidade de novos ares, algo como experimentar novos sabores de mim mesmo numa ato de dar um passo além. Não concordo que o verdadeiro passo fosse parar de postar, não, não - até mesmo porque quando escrevo me desconstruo e reelaboro os significados da realidade. Assim, acredito que o verdadeiro passo é dado na medida em que novos caminhos são encontrados para que estes significados tomem corpo.
Em um dos últimos posts no finado RT!, eu dizia que toda essa correria bestamente sem sentido da chamada vida pós-moderna, hiper-moderna, fuck-whatever-moderna nos esteriza e, muito bem dito pela moça dos cabelos vermelhos, nos HISteriza.
Por outro lado em algum momento o Lacan dizia que a busca de um sentido só é possível quando encontramos o nosso fio da história.
Quem é você? Qual a sua história? Quem comeu quem antes de você nascer? E por aí vai...
Taí. Quero compreender não só o meu fio da história, mas também o das pessoas invisíveis que passam nas ruas, dos desvalidos, dos pequenos, dos que mandam, dos que simplesmente respiram, na tentativa de dar novos passos e, quem sabe, de encontrar um sentido.
*
Em tempo, São Paulo em feriado de maio é deliciosa.
Vazia com sol fraco e brisa fria.
Sinestesia no ar.

2 comentários:

DRiKO disse...

Tá falando difícil, heim? Está atualizado.

Lia disse...

Amo-te, meu docinho de abóbra.
O Rio de Janeiro também está agradável pacas: um céu azulão, um fresquinho gostoso e raro por essas bandas.
By the way, papai comeu mamãe. Mamãe deu pra papai. Quando a gente entende isso e visualiza a cena, toda a nossa concepção das NOSSAS vidas muda. E nos poupa uns meses de análise. ;)