sexta-feira, 9 de dezembro de 2005

O limbo.

O mar de solidão da Torre.
Sem dúvidas a melhor noite. Mas o mar de solidão, aqui entendido como sentir-se subitamente invisível em plena multidão, fez com que eu preferisse ir embora. Abandono de missão. Água na batalha-naval. Over. Grito mudo sufocado. O ovo apunhalado.

Nestas ocasiões fico em dúvidas sobre onde geograficamente estaria localizado este mar de solidão.
Talvez num limbo, meio fora, meio dentro de mim.

Nenhum comentário: