domingo, 19 de fevereiro de 2006

Gauche

Sempre tive talento pra ser gauche na vida.
Aos 5 anos desejava ser "consertador" de máquina de lavar, talvez porque esta fosse a profissão mais incrível que conhecesse naquela idade. Depois virei criança nerd porque em alguma coisa eu precisava ser bom - não, não me julgava bonito tão pouco habilidoso nas aulas de educação física.
Superadas essas pequenas mazelas e com tudo em cima aos 28, ainda não me acostumei com esta minha nova condição.
Ser gauche era o driveforce da minha vida.

sábado, 11 de fevereiro de 2006

Vagina limpa



Essa aí é Galeria fechada. Grandes Galerias, ou Galeria do Rock como queira. Fechada na cola do Atari, da Funhouse, do Bocage e do Madame Satã também. Não vou reproduzir aqui tudo o que tem rolado nas comunidades do orkut a respeito disso - me resigno a dizer no melhor estilo Regina Duarte, aquela da vagina limpa, que eu tenho medo.
É. Como uma Regina Duarte às avessas eu tenho medo. Não especificamente do Serra, mas do que ele representa. Antes de continuar a campanha anti-PSDB deixo clara a minha posição política: a da descrença quase total, a de que quem pensa votar em tentativa derradeira no PSOL da Heloísa Helena ou anular o voto caso ela não seja candidata.
Esclarecido isto voltemos ao causo. Eu tenho medo do que o Serra representa. O Serra ou o picolé de chuchu conhecido como governador do estado.
Essa mão pesada de lobo em pele de cordeiro me assusta porque soa como uma ditadura branca facilmente comprada por desavisados que acreditam na figura do líder salvador, trabalhador e justo, o líder que apareceu pra botar ordem no terreiro. O líder narcísico.
Só que por detrás de tudo isto, há forças ocultas.
Acontece que nas entrelinhas desta história há sussuros e são estes sussurros que me preocupam.

Qual era mesmo o filósofo contemporâneo que disse que vivemos numa Era Bush?